O ganha-ganha – Cliente x Vie Rose

O ganha-ganha – Cliente x Vie Rose


Hoje quero compartilhar com vocês um princípio que me faz dar sentido à existência do Vie Rose como lugar que acolhe e ensina.

Quando eu tinha 18 anos, meu pai ganhou de um amigo o livro “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”. Eu li a contracapa e achei muito interessante. Na mesma semana, recebi uma ligação para fazer uma entrevista para o meu 1º estágio.

Consegui esta entrevista, pois um conhecido da minha mãe, ao saber que eu tinha passado na faculdade no curso de Administração de Empresas da Faap, disse que no banco onde ele trabalhava estavam precisando de estagiários.

Bom, eu tinha apenas o nome na lista de aprovados da faculdade, nem matrícula tinha feito ainda. Mas lá fui eu preparar meu 1º currículo. Como eu sempre fui muito ativa, elegi os cursos que eu tinha feito.
1- Pintura e artesanato: habilidades manuais e concentração.
2- Massagem terapêutica: controle emocional e respeito ao próximo, resiliência.
3- Leitura dinâmica e memorização, o que me fazia ser ágil e rápida.
Claro que os cursos foram escolhidos por mim ao longo dos meus 12 a 18 anos por conta da minha personalidade.
4- inglês intermediário: este meu pai me obrigou a fazer. Ainda bem que ele fez isto. Pois hoje falo, uso e tem muita utilidade.
5- 1º semestre de Administração a começar.😬

Bom, eu precisava convencê-los de que eu era a melhor opção para a vaga. E lá fui eu para a 1ª entrevista com o gestor da área. Como sou espontânea e me comunico bem, ele gostou bastante da entrevista e me passou para a 2ª etapa: teste com a psicóloga do RH. Com ela em outro dia e em outro local. Agendado!

Uma das lições do meu pai era sempre se preparar para qualquer reunião ou entrevista.
Bom, fiquei pensando bem o que ela gostaria de escutar e tentei me colocar no lugar dela, tentando enxergar o que ela procuraria no candidato para aquela vaga.
Peguei o livro que meu pai tinha ganho e li as primeiras páginas na noite anterior à entrevista.

Dentre as lições do livro, a principal é a necessidade de equilíbrio entre o que você produz e a sua capacidade de produzir. Relações do tipo “ganha-perde” ou “perde-ganha” não são favoráveis. É preciso buscar a equação “ganha-ganha”. Ela sim é sinônimo de solução.

Bom, levei o livro comigo para a entrevista. Continuei a ler na sala de espera. Ao ser chamada, entrei na sala e deixei o livro bem à vista do psicóloga.
Adivinha qual foi a 1ª pergunta que ela me fez? Sim! Era o que você está lendo. Eu disse que meu pai tinha ganho e que me interessei pelo prefácio. E expliquei sobre o hábito do ganha-ganha; hábito este que dizia que era o melhor caminho para manter uma relação duradoura e confiável.

Bom, o livro pra mim foi muito mais que teoria de gestão e um artifício para ganhar a vaga de estágio. Lições que até hoje levo para a gestão do Vie Rose.

*A relação ganha-ganha está em toda a nossa cadeia. E o respeito mútuo faz toda a diferença. Stephen Covey formulou a sua teoria da eficácia a partir de uma leitura de uma fábula infantil, de Esopo: “Certo dia, um pobre fazendeiro descobre um ovo de ouro em um dos ninhos de suas galinhas. Ele não podia acreditar na sorte que teve. Porém, ganancioso e impaciente para ficar logo milionário, decide matar a galinha para obter todos os ovos de uma só vez, sem ter que esperar um dia após o outro. Mas, para sua decepção, ao abrir o corpo da ave, não havia nada além do que é comum em toda galinha. Nada de ovos de ouro”. *

Só a harmonia produz a eficácia que, no caso da fábula, é a riqueza. Buscamos aqui estender essa lição em toda a nossa cadeia produtiva: fornecedores, clientes, concorrentes e equipe.

Se eu não respeitar todas as relações, o meu negócio não vai florescer. As cadeias produtivas devem ser energeticamente positivas em todas as relações.

O cliente não pode me espremer a ponto de prejudicar o negócio.
E nós não podemos entregar algo abaixo do custo e do preço de mercado. Claro que o preço de mercado deve seguir os padrões reais de um negócio sem subsídio.

Ou seja, se tivermos cuidado com uma relação saudável, vamos nos sentir seguros sobre o que compramos e o quanto pagamos. Não podemos arrancar o preço do fornecedor a ponto de fazê-lo quebrar e nem dar tamanho desconto a ponto de não conseguirmos entregar qualidade.

Confiança entre duas partes é o que faz qualquer relação crescer, florescer e dar frutos.
Não tente só você ganhar, porque se você acha que está ganhando, muitas vezes, na prática, está perdendo.

Vie Rose, construindo elos para uma vida.

Depoimento que recebi no whatsapp comercial de um cliente que esteve no Vie Rose neste  último domingo dia 19/01/20.

“Letícia, boa tarde!
Estivemos em seu restaurante neste domingo e gostaria de agradecer e parabenizar pela boa comida, lugar muito agradável e principalmente seu excelente atendimento e carinho com os clientes.
Parabéns e muito sucesso pra você!!! Alberto”

Dicas de leitura: “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”, de Stephen R. Covey